Automatize o Ponto de Venda

Automatize o Ponto de Venda

Conheça as dicas simples que farão a diferença

Inicialmente o pequeno empreendedor começa de forma simples seu negócio, utilizando apenas pequenos recursos para operação como uma caixa registradora, uma calculadora e talvez uma planilha para se organizar. Contudo, quando seu fluxo de clientes for crescendo e a demanda de processos precisarem de um suporte mais especializado para gerenciar seus negócios, é preciso automatizar seu comércio de forma profissional.

Isso acontece porque o gestor não consegue mais saber o que tem no seu estoque, o que está entrando e saindo do estoque, o que está entrando no seu caixa e quanto precisa gastar para repor seu estoque, sem contar outras questões que envolvem a administração correta do seu negócio para que não vire uma tremenda bagunça em relação à organização.

Esse é o ponto crucial para o empresário tomar a decisão de automatizar seu negócio e começar a controlar seu estoque, o que sai e entra na empresa, quanto custa cada item, por quanto deve vender cada item e qual produto disponibilizará para  promoção.

Escolha a ferramenta de PDV ideal para sua empresa

A melhor tecnologia para automação de PDV deve ser baseada em atender suas necessidades e do seu segmento. Deve emitir notas fiscais, cupons fiscais etc. São funções básicas que todo sistema de PDV deve oferecer.

Controlar mais o seu tempo aumentando a produtividade

Quando ocorre a automação do PDV deve permitir maior agilidade em suas rotinas diárias, o que significa que haverá uma queda no tempo de atendimento ao cliente, podendo assim atender mais clientes de forma mais eficiente.

Controlar o setor financeiro de forma certa

É preciso deixar de lado o velho costume de administrar as finanças da empresa apenas com a calculadora e planilhas. Mude e conheça metodologias novas agregadas a um sistema de gestão empresarial que vai fazer todo esse trabalho administrativo de forma intuitiva e eficiente. Tendo assim o controle do fluxo do seu caixa, o que abrange as contas a pagar e receber, cadastro de fornecedores e clientes, despesas e outras funcionalidades  necessárias que toda empresa necessita e que um ótimo sistema de gestão pode oferecer.

Administrar seu estoque com foco nas vendas

Tenha bastante atenção no gerenciamento do seu estoque para saber informações que determinem quando é preciso repor materiais, o que está faltando, o que vendeu mais em qual época do ano. Use relatórios que indiquem esses dados de forma simples e eficiente sem precisar quebrar a cabeça com cálculos complicados que levam ao erro.

Atendimento ágil

O que acontece se o cliente se depara com uma enorme fila para pagar o produto que precisa levar? Isso mesmo! Ele vai embora sem levar o produto e ainda você corre o risco de ter seu estabelecimento mal falado por conta de uma medida simples que agradaria tanto o cliente como o empresário.

Por isso é necessário uma solução de PDV que atenda suas necessidades e seja rápido com diversas maneiras de pagamento tais como crédito, débito, cheques, cartão alimentação, dinheiro etc.

Assim seu estabelecimento estará pronto para atender seus clientes gerando mais lucros para a empresa em menos tempo e com maior flexibilidade e menor tempo.

Restaurante de Sucesso

Dicas do Sebrae de SP para o seu restaurante

Conheça algumas dicas e tendências que podem ajudar o seu negócio de alimentação fora do lar se tornar mais competitivo.

Destacar-se no concorrido mercado de alimentação fora do lar não é uma tarefa fácil. O segmento, é um dos mais importantes para o desenvolvimento econômico brasileiro. Principalmente quando observamos o crescimento entre 2011 e 2014, de R$ 121 bilhões para R$ 157 bilhões, representando uma média de crescimento de 9% ao ano.

A forma de consumo está mudando com o decorrer dos anos, e existem diversas novas opções para comer fora de casa. São muitas variedades, como por exemplo: padarias, food trucks, bares, lanchonetes que oferecem uma infinita variedade de refeições.

Esta cartilha orienta o empresário sobre como fazer uma gestão eficaz de todas as áreas que envolvem o processo de uma empresa de alimentação fora do lar.

Fonte: Sebrae Sebrae São Paulo – 19/05/2017

Soluções para o setor gastronômico, desde o PDV até o ERP

Para você que pretende ou até mesmo já está no ramo gastronômico e precisa de adequar à lei estadual, temos a solução certa para cada setor do ramo de gastronomia.

São soluções modulares que atenderão as necessidades reais de cada estabelecimento, ou seja, você só contrata o que realmente precisa! E quando achar que precisa de mais funcionalidades basta entrar em contato e adicionar outros módulos.

Por meio desse sistema você consegue controlar vários setores da empresa como estoque, compras, vendas, setor financeiro e muito mais. Como a solução é on-line, você tem a facilidade de acessar e controlar sua empresa de qualquer lugar e horário sem a necessidade de estar presente no local de trabalho. Ideal quando quiser sair de férias sem abandonar o controle dos negócios!

Para maior rentabilidade do seu negócio, ainda disponibilizamos outras ferramentas digitais como o Delivery e integração com iFood, além de equipamentos para o seu ponto de venda com sistema local e retaguarda web.

São soluções que todo estabelecimento necessita para atender a legislação e controlar os processos internos da sua empresa.

Entre em contato para saber mais informações sobre as soluções para o setor gastronômico.

(11) 2989-5006 / 3508-3100

Site Institucional

Você já possui um site institucional?

Você já possui um site institucional? Muitas pessoas acreditam que não precisam mais criar um site, visto que as redes sociais abrigam muitos usuários. Dessa forma, eles pensam que é mais saudável concentrar todas as forças lá

Porém, isso está longe de ser verdadeiro. Os sites institucionais ainda são muito importantes para as empresas.

Além de manter um canal de contato duradouro com todos os tipos de clientes (inclusive com aqueles que não possuem redes sociais), é uma poderosa ferramenta para aumentar o número de clientes.

Neste post, explicaremos quais são as principais características de um site institucional e as 5 principais vantagens que sua empresa terá caso faça páginas de qualidade. Acompanhe:

As principais características de um site institucional

Um site institucional de sucesso é aquele que foi feito sob medida para suprir as necessidades da empresa, dos clientes e dos principais interessados. Sendo assim, é uma ferramenta importante de comunicação da empresa com o público.

As principais características são:

  • informações atualizadas;
  • páginas rápidas e objetivas;
  • otimização para uso em dispositivos móveis;
  • criação de conteúdo relevante;
  • disponibilização de serviços on-line (quando relevante);
  • visual limpo e conta apenas com as informações necessárias para os usuários.

Todos os pontos destacados são importantes para que as páginas sejam rápidasrelevantes e, por consequência, esteja nas primeiras posições de buscadores como o Google.

5 motivos para criar um site institucional

Listamos 5 motivos importantes para te ajudar a entender quais são os impactos de um site institucional para o seu negócio. Confira:

1. Fortalece a imagem da empresa

A imagem da empresa fica mais forte quando está presente nos principais canais disponíveis. Quando falamos de presença digital, a importância é ainda maior.

Uma pesquisa revelou que mais de 100 milhões de brasileiros estão conectados à internet. Isso significa que as suas ações on-line podem alcançar metade da população do país.

Sendo assim, um número muito maior de pessoas estará disponível para ver os seus conteúdos e passíveis a adquirir o seu produto ou o seu serviço.

2. Passa credibilidade

Se a sua empresa deseja se mostrar “antenada” e mais próxima do cliente, você deve estar representado on-line.

Quando um usuário procura pelo site de determinada empresa, entre outras coisas, deseja saber como ela interage com as novidades do mundo on-line e acessar mais informações que auxiliem o usuário no momento da decisão de qual empresa contratar.

Sendo assim, quando uma instituição não possui uma página na internet, ela já começou atrás dos seus concorrentes.

O motivo é simples: os negócios que não possuem uma página oficial são vistos como ultrapassados e que não possuem tecnologia suficiente para atender aos clientes.

3. Disponibiliza informações importantes

Outra vantagem importante é ter disponível um local em que os consumidores possam consultar informações importantes, atualizadas e confiáveis sobre a empresa.

Além de dados comuns — como dias de funcionamento e horário de abertura e de fechamento —, é interessante divulgar a relação de produtos e de serviços.

Quando os sites destacam os detalhes do que é oferecido, os clientes compram com mais convicção e têm menos chances de se arrependerem.

Mais do que isso, um site institucional que possua uma base de conhecimento, por exemplo, receberá menos ligações sobre suporte.

Nos casos de empresas que atendam presencialmente, se as pessoas conseguem resolver os seus problemas em casa, terão menos motivos para saírem de casa.

As vantagens são várias! Além de melhorar a eficiência da equipe, você deixará o seu consumidor mais satisfeito.

4. Atrai pessoas interessadas

Um bom site institucional deve contar com espaço para blog. Nele, a sua empresa criará conteúdo atrativo e relevante para o seu público-alvo.

Em vez de simplesmente postar conteúdo relacionado aos seus produtos ou à sua instituição, o seu site pode abordar as questões que são mais importantes para o seu público.

Pensando naquilo que as pessoas mais temem e precisam saber antes de tomar uma decisão no processo de compra, você fará com que as pessoas tenham um contato próximo com a sua empresa.

Obviamente, nem todos os contatos (ou leads) se transformarão em clientes. Porém, será mais uma possibilidade de atrair pessoas com o perfil da empresa. Além disso, essa estratégia possui baixo custo se comparado às demais.

As páginas institucionais podem ser bons destinos para campanhas pagas. Se a sua empresa possui eventos ou promoções específicas, é interessante utilizar links patrocinados como Google AdWords ou Facebook Ads para divulgá-las.

Fazer landing pages dentro do seu site institucional fará com que as pessoas tenham mais detalhes sobre o anúncio que acessaram.

5. Aumento o número de clientes

Por fim, caso o seu site seja bem criado e alimentado, você poderá esperar por crescimento no número de clientes.

O 1º motivo para isso está na maior visibilidade que a sua empresa terá no ambiente virtual.

Porém, isso não é tudo. Como vimos, a produção de conteúdo relevante é uma boa arma para que as suas páginas estejam entre as primeiras colocadas no Google.

Dessa forma, pessoas interessadas em comprar produtos ou em contratar serviços oferecidos por você terão, facilmente, acesso aos seus principais dados.

Mais do que isso: um site institucional pode rastrear as pessoas que estão interessadas nos seus serviços e exibir anúncios para que elas reconsiderem a sua oferta.

Ou seja, mesmo que você não tenha uma loja virtual, é possível aumentar as suas vendas.

Você verá como sua empresa estará muito mais segura para crescer caso crie um site útil e importante para os seus usuários.

Vale salientar, porém, que você não deve apostar na criação de qualquer site, mas páginas que agradem os seus clientes em beleza, conteúdo e velocidade.

A criação deverá obedecer planos e objetivos expostos na estratégia de trabalho. Sendo assim, não veja o processo de criação de um site institucional como um mal necessário, mas como uma ferramenta importante e essencial para que a sua empresa cresça.

Fonte: Por Tassia Dias – Rockcontent.com

Entre em contato para saber mais como desenvolver seu site institucional ou para qualquer tipo de website que necessita.

(11) 2989-5006 / 3508-3100

Tudo sobre ramos de atividades e como escolher o seu

Ramos? Atividades? O que vem primeiro e como combiná-los? Descubra agora!

Ramo de atividade: qual é o seu?

O ramo de atividade é o que define a área em que a sua empresa irá atuar. É por isso que podemos dizer que ele ajuda a definir, também, o seu produto ou serviço. Pode-se afirmar, ainda, que o ramo de atividade é a primeira escolha a ser feita quando se decide abrir uma empresa.

Muitas vezes ele é definido, inclusive, bem antes da decisão de empreender: o empreendedor gosta de uma atividade ou tem afinidade com alguma área ou bom conhecimento técnico e daí surge a percepção da ideia empreendedora.

No mundo dos negócios, o resultado ideal é aquele que está mais próximo do equilíbrio, sempre.

Os ramos tem várias subcategorias que ajudam na definição específica. Por exemplo: você pode abrir uma empresa industrial, comercial ou de prestação de serviço. Dentro dessas atividades, é possível escolher um ramo específico. Para fazer uma demonstração, na atividade industrial você pode abrir uma gráfica, uma metalúrgica ou produzir bebidas.

Atividades e Ramos

O que vem antes, o ramo ou a atividade? Se você se encontra, agora, no momento da escolha pelo ramo de atividade, vamos te auxiliar a encontrar o ramo ideal para a sua atividade. Ficou confuso? A gente explica!

Ramos

Empresas industriais: são aquelas que transformam matérias-primas, manualmente ou com auxílio de máquinas e ferramentas, fabricando mercadorias. Abrangem desde o artesanato até a moderna produção de instrumentos eletrônicos.

Fábrica de móveis artesanais;

 Fábrica de roupas;

 Fábrica de esquadrias;

 Fábrica de computadores.

Empresas comerciais: são aquelas que vendem mercadorias diretamente ao consumidor – no caso do comércio varejista – ou aquelas que compram do produtor para vender ao varejista – comércio atacadista.

Restaurante;

 Supermercado;

 Atacado de laticínios;

 Armarinho;

 Loja de ferragem.

Empresas de prestação de serviços: são aquelas onde as atividades não resultam na entrega de mercadorias, mas da oferta do próprio trabalho ao consumidor.

Lavanderia;

 Cinema;

 Hospital;

 Escola.

Atividades

Dentro das atividades existem vários ramos que podem ser explorados por uma empresa, como por exemplo:

Industrial

  • gráfica;
  • calçado;
  • vestuário;
  • bebidas;
  • mobiliário;
  • couros;
  • metalurgia;
  • mecânica.

Comercial

  • veículos;
  • tecidos;
  • combustíveis;
  • ferragens;
  • roupas;
  • acessórios.

Prestação de Serviços

  • alimentação;
  • transporte;
  • turismo;
  • saúde;
  • educação;
  • lazer.

Para auxiliar na sua escolha

Ter preferência pelo ramo de atividade é uma boa forma de antecipar a satisfação em desempenhar uma atividade nela. Não é mesmo? Da mesma forma, é interessante que você tenha conhecimento do ramo ou da atividade que irá escolher, porque é quase impossível conseguir gerir um negócio sem ter nenhum conhecimento sobre ele.

As empresas nascem para atender a uma demanda de um público consumidor. Sendo assim, é prudente encomendar uma pesquisa de mercado para conhecer que público é esse e se ele existe para a sua ideia.

Outra recomendação é estar atento à concorrência, bem como saber qual o investimento necessário e qual valor que você tem para abrir o seu negócio. Aliás, no mundo dos negócios, o resultado ideal é aquele que está mais próximo do equilíbrio, sempre.

Fonte: Sebrae Nacional – 16/09/2019

Solução para deixar seu futuro negócio ainda melhor

Para que seu negócio tenha o sucesso esperado é preciso que tenha a solução ideal para o tipo de ramo de atividade que irá exercer!

Por isso temos uma grande diversidade de produtos para que você consiga administrar seus negócios mesmo que não esteja no seu local de trabalho. São soluções on-line totalmente integradas ao seu estabelecimento, proporcionando assim um maior conforto e agilidade na hora de resolver qualquer pendência quando não estiver presente no seu estabelecimento.

Por meio da internet você consegue administrar sua empresa de qualquer lugar e horário. Administre seu estoque, vendas, compras, finanças e muito mais com nossa solução que vai do PDV, ERP, E-commerce, Sites de todas as categorias, Wi-Fi profissional (HotSpot) até o que você precisa.

Entre em contato para saber mais: (11) 2989-5006 / 3508-3100

Seu sistema integrado ao iFood

Já pensou em ter seu sistema de gestão integrado ao iFood?

Com a integração do nosso sistema, que é 100% web, ao aplicativo de pedidos on-line iFood já é uma realidade utilizada por muitos estabelecimentos no Brasil.

São facilidades incríveis que ajudarão no processo de produção do pedido do cliente, agilizando a entrega e garantindo a satisfação do consumidor.

Mais agilidade e desempenho em um único sistema.

Com a integração do sistema de gestão ao iFood, seus pedidos aparecerão direto no caixa e na cozinha com apenas um clique! Dispensando a necessidade de cadastrar o pedido em outro software ou imprimindo o pedido para que seja utilizado na cozinha.

É uma solução dinâmica de fácil manuseio que integra além do iFood, várias outras funcionalidades para atender às necessidades do estabelecimento como cadastro de clientes, controle de estoque, vendas, compras, comissões, compras e muitas outras atividades necessárias ao bom desempenho do estabelecimento.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é imagem-conteudo-integracao-ifood-2.jpg

Diga adeus ao retrabalho!

Quem já tem seu estabelecimento cadastrado na plataforma do iFood já sabe que precisa cadastrar seus produtos em dois sistemas diferentes, o Iconnect do iFood e o sistema do estabelecimento. Significa que o trabalho precisa ser feito duas vezes sem necessidade. Por isso nossa solução web possibilita você a ganhar tempo e dinheiro.

Com a solução de gerenciamento empresarial integrado ao iFood você tem conta com todos os benefícios do sistema gerenciando e administrando seu estabelecimento e cadastrando as informações uma única vez no sistema. Assim o pedido feito pelo cliente é visualizado diretamente no caixa e na cozinha agilizando o preparo e o envio ao cliente.

Acesse agora mesmo nosso site e saiba mais sobre as soluções ideais ao seu tipo de estabelecimento e agende uma visita!

(11) 2989-5006 / 3508-3100

Nota Fiscal eletrônica: tudo o que você precisa saber

Como funciona e quais as vantagens da emissão virtual, exigida para diversas empresas de distintos portes e setores.

Com a implementação gradual, iniciada em 2010, tornou-se obrigatória para a maioria das empresas a emissão da Nota Fiscal eletrônica (NF-e), que substitui as notas tipo 1 e 1-A. O objetivo da Receita Federal é a modernização do procedimento, a diminuição de custos e o controle nos processos fiscais.

Apenas os empreendimentos que não se encaixam nas exigências de emissão de Nota Fiscal tipo 1 e A-1 estão desobrigados da adesão ao sistema digital, mas, ainda assim, eles podem optar voluntariamente pela NF-e, que substitui apenas as notas fiscais impressas dos modelos citados, havendo a previsão de estender isso a outras modalidades, inclusive os cupons fiscais.

Credenciamento

Para utilizar o sistema da NF-e, é necessário solicitar o credenciamento na Secretaria da Fazenda estadual ou do município em que a empresa está registrada.

O cadastro é efetuado de maneira setorizada por estado. Em caso de empreendimentos em mais de uma unidade federativa, é necessário fazê-lo em cada localidade.

A emissão da NF-e depende da adaptação do sistema de faturamento da empresa para o programa online.

Depois de instalado na máquina do contribuinte, o programa permite a emissão da NF-e. Ele gera o arquivo digital, possibilita o gerenciamento e cancelamento das notas e também possui outras funções, como cadastros de clientes, produtos e transportadoras.

Emissão eletrônica

Confira a seguir as etapas de emissão da NF-e:

1. Pedido de compra ou pagamento de serviço.

2. Aceite do pedido e emissão da NF-e, com envio para Secretaria da Fazenda do estado ou município e Receita Federal.

3. Autenticação da transação.

4. Envio da NF-e via internet ao lojista ou prestador de serviço.

5. Mercadoria, acompanhada de um documento auxiliar da NF-e, é enviada ao lojista ou prestador de serviço.

6. Prestador de serviços emite NF-e ou lojista emite cupom fiscal para produto.

7. Secretaria da Fazenda do estado ou do município recebe os dados da transação e envia a autenticação.

8. Cliente recebe cupom fiscal, no caso de produtos comprados em loja física, ou enviada por e-mail, após pagamento nas transações virtuais.

9. Lojista emite relatórios fiscais de fechamento de caixa.

Vantagens

São vários os benefícios que a Nota Fiscal eletrônica proporciona a todos os envolvidos em uma transação comercial. A seguir, confira alguns deles.

Para os emitentes da NF-e (vendedores):

  • Redução de custos de impressão do documento fiscal.
  • Diminuição dos gastos de armazenagem de documentos fiscais.
  • Menor tempo de parada de caminhões em Postos Fiscais de Fronteira.
  • Gerenciamento Eletrônico de Documentos (GDE), com a facilitação das transações.
  • Incentivo a uso de relacionamentos eletrônicos com clientes.

Para as empresas destinatárias da NF-e (compradoras):

  • Eliminação de digitação de notas fiscais na recepção de mercadorias.
  • Planejamento de logística de recepção de mercadorias.
  • Gerenciamento Eletrônico de Documentos (GDE).
  • Redução de erros de escrituração devido à eliminação de erros de digitação de notas fiscais.

Para a sociedade:

  • Redução do consumo de papel, com impacto positivo em termos ecológicos.
  • Incentivo ao comércio eletrônico e ao uso de novas tecnologias.
  • Padronização dos relacionamentos eletrônicos entre empresas.
  • Surgimento de oportunidades de negócios e empregos na prestação de serviços ligados à NF-e.

Para os contabilistas:

  • Facilitação e simplificação da escrituração fiscal e contábil.
  • Gerenciamento Eletrônico de Documentos (GDE).
  • Oportunidades de serviços e consultoria ligados à NF-e.

Para o Fisco:

  • Aumento na confiabilidade da Nota Fiscal.
  • Melhoria no processo de controle fiscal, com intercâmbio e compartilhamento de informações entre os fiscos.
  • Redução de custos no processo de controle das notas capturadas pela fiscalização de mercadorias em trânsito.
  • Diminuição da sonegação e aumento da arrecadação sem aumento de carga tributária.

Fonte: Sebrae Nacional – 04/07/2017

Adquira a solução on-line para emissão da sua NF-e.
Ligue para (11) 2989-5006 / 3508-3100

Mini franquia

Saiba o que é, como funciona e o melhor sistema para gerenciamento.

Se você pretende entrar para o ramo de franquias e não tem um poder aquisitivo ideal para iniciar, pode optar pelas Micro Franquias que são indicadas para empreendedores com menor poder aquisitivo e que têm o sonho do negócio próprio.

Mas isso não quer dizer que é um negocio de baixa lucratividade, pois com a dedicação e empenho do empreendedor franqueado e o apoio da franqueadora pode resultar em ótimos lucros.

Nos 10 primeiros anos de operação dos negócios independentes, 80% desaparecem porque não aguentam com a concorrência e não tem suporte de gestão adequado. Por isso o setor de micro franquias está crescendo no Brasil, permitindo que empreendedores com baixo poder aquisitivo tenham um negócio estruturado com marca e know how para operação e gestão do negócio, aumentando as chances de sucesso e expansão.

Funcionamento

O funcionamento é o mesmo de uma franquia normal, a diferença é a mudança no porte e na complexidade da operação. As micro franquias são, normalmente, operadas por uma única pessoa, que é o próprio empreendedor que investiu no negócio e também, muitas vezes, não é necessário ter um lugar físico para trabalhar, pois ele pode atender no local do cliente. É o que acontece, como por exemplo, com o ramo de manicure.

As Micro Franquias no Brasil vem contribuindo para a redução da informalidade nos pequenos negócios, já que o micro empreendedor deve abrir sua empresa obedecendo a legislação para operar o negócio.

Soluções para gestão da micro franquia

O empreendedor deve, além de abrir uma empresa de acordo com a lei, obter um ótimo sistema para gerenciar seus negócios e emitir nota fiscal.

Uma solução ideal para gerenciar o estoque, finanças, compras, vendas e muito mais com a simplicidade e eficiência de um sistema 100% web garante toda a praticidade e segurança para o bom funcionamento da empresa.

Conheça as vantagens das soluções web para qualquer tipo de franquias e também a opção de vendas pela internet com uma loja virtual totalmente integrada ao sistema de gestão. E para franquias do ramo de gastronomia ainda temos a vantagem do sistema Delivery integrado ao sistema de gestão e também a opção de integração com iFood.

Acesse agora mesmo o site e conheça as vantagens do sistema ou ligue para (11) 2989-5006 / 3508-3100 para agendar uma visita.

Dicas e estratégias para vendas multicanais

Apostar na variedade de canais para divulgar produtos ou serviços é fundamental para garantir mais e melhores vendas.

Cada vez mais familiarizado com a tecnologia, o consumidor já não se limita a um único caminho para procurar produtos ou serviços. Ele quer ter muitas opções apresentadas de maneira prática e ágil.

Sendo assim, as empresas devem utilizar-se de diversas alternativas de comunicação para chegar ao cliente e expandir suas vendas e o alcance de sua marca. Isto é, deve tornar-se multicanal.

O multicanal manuseia várias ferramentas de vendas e divulgação ao mesmo tempo. O empresário pode atuar em meios de comunicação como mídias sociais e e-commerce, além de criar estratégias em lojas físicas na intenção de ampliar o espectro de clientes, considerando a diversidade contemporânea.

Tipos de canais

Os canais utilizados para a relação entre empresa e consumidor podem ser tradicionais ou digitais. Dentre os tradicionais, estão:

  • Lojas físicas – um dos mais tradicionais canais de venda do varejo, necessitam de estratégias de marketing específicas para alcançar o público.
  • Franquias – quando uma empresa obtém sucesso, ela repete as estratégias de venda e distribuição em novos locais, mantendo suas características.
  • Televendas – cria-se uma central de atendimento telefônica para estimular as vendas. O público-alvo é composto por pessoas que não utilizam tecnologia mais avançada, como a internet.
  • Rede de consultores – oferece um tipo de venda personalizada e intimista.

Já os canais digitais relacionados a negócios atingem um público ainda mais amplo e geograficamente distante. São eles:

  • F-commerce (Facebook Commerce) – a rede social é útil na hora de reunir os consumidores de uma marca e também de medir seu perfil e suas necessidades.
  • E-commerce (Eletronic Commerce) – funciona como uma loja virtual onde os produtos são apresentados e as vendas são realizadas online.
  • M-commerce (Mobile Commerce) – são aplicativos para smartphones que servem como opção para conhecer e adquirir produtos e serviços.
  • E-marketplace (Shopping Center Online) – trata-se de um canal que reúne produtos de diferentes empresas.

Estratégias

Para se valer de todos os canais, é necessário utilizar-se de estratégias que contribuem para a sua eficiência. A distribuição é uma delas, pois deve-se pensar em um serviço de entrega rápido e eficiente aos franqueados, consultores ou clientes.

Responder aos clientes com agilidade e resolver as solicitações é outra estratégia importante, inclusive, para fidelizar a clientela. O FAQ (perguntas frequentes) pode ser realizado por meio do Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) ou meios digitais.

No caso das mídias digitais, é necessário ter um profissional especializado que atualize esses meios constantemente, trabalhe o relacionamento em redes sociais e perceba as necessidades do público.

O ideal é criar política de trocas definida e clara tanto para os clientes como para a equipe. Dessa forma, será possível satisfazer o consumidor e contribuir para a boa reputação da empresa.

Definição de canais

A escolha dos canais varia de acordo com o público-alvo e as demandas da empresa. É indispensável estudar sobre produtos são oferecidos no meio virtual, de acordo com a probabilidade de vendas e alcance.

Além disso, deve-se pensar em estoque, meios de distribuição e como trabalhar a comunicação do seu negócio.

Se uma empresa quer marcar presença digital, mas avalia que nem todos os seus produtos são adequados a esse tipo de comércio, pode disponibilizar apenas uma parte de seu catálogo online e os demais produtos serem oferecidos apenas na loja física.

Também considere a entrega dos produtos. Procure fazer parcerias com empresas que tenham preços competitivos e um serviço eficiente, além de disponibilizar digitalmente apenas produtos que a entrega possa ser garantida.

Evite que um canal concorra com o outro. Mesmo que a loja física e a loja virtual ofereçam mercadorias diferentes, elas devem estar entrosadas. Afinal, o cliente vai identificar a empresa pela marca e não pelo canal o qual escolheu.

Fonte: Sebrae Nacional – 12/11/2018

Presença digital

Para que sua empresa tenha um canal que ajude em suas vendas, o Grupo ControlP oferece vários tipos de serviços web por meio de uma de suas empresas especializada no ramo. A CWD Internet oferece serviços de hospedagem, criação e desenvolvimento web.

Com vários anos de mercado é milhares de projetos desenvolvidos a CWD Internet desenvolve seu E-Commerce, site institucional, catálogo eletrônico e vários outros tipos de sites para cada seguimento que você precisar!

Conheça também o serviço de Wi-Fi Profissional, onde o seu cliente faz a propaganda do seu negócio, tornando o cliente fidelizado e sua marca sempre lembrada.

Ligue agora para (11) 2989-5006 / 3508-3100

Entenda a importância da gestão de estoque

A gestão desse ponto pode significar a diferença entre o lucro e o prejuízo de um negócio. Confira nossas dicas para uma gestão eficiente de estoque.

Velocidade do giro

Em uma empresa de varejo, gerir estoques pode ser resumido como a função de equilibrar compras, armazenagem e entregas, controlando as entradas e o consumo de materiais, movimentando o ciclo da mercadoria. Sendo assim, um dos indicadores de desempenho mais relevantes para essa atividade é justamente a velocidade dessa movimentação, o famoso giro de estoque.

A gestão de estoque da empresa deve ter como objetivo um prazo de pagamento dos fornecedores compatível com os recebimentos dos clientes. 

Para que esse indicador possa evoluir, é preciso estar atento a todos os aspectos que podem ajudar ou prejudicar a velocidade do giro. Como:

  • A compra
  • A organização do estoque
  • A exposição dos produtos
  • As promoções
  • O atendimento
  • A entrega

Controle do estoque

A gestão de estoque da empresa deve ter como objetivo a obtenção de um prazo de pagamento dos fornecedores compatível com os recebimentos dos clientes, imobilizando o menor capital possível e, ao mesmo tempo, oferecendo um bom serviço aos consumidores.

Para que isso seja viabilizado, a movimentação de estoque deve ser sistematizada por meio de normas de entrada e saída. É nesse contexto que entra em cena o controle físico e financeiro de estoque, com o objetivo principal de trazer informações sobre a quantidade disponível de cada item no estoque e seu correspondente valor financeiro.

Curva ABC

Um bom controle de estoque permite ao gestor calcular o giro das mercadorias e aperfeiçoar o processo de compras, diminuindo a pressão sobre o capital de giro da empresa. Implantar esse controle também viabiliza a classificação dos produtos utilizando-se de uma ferramenta conhecida como Curva ABC, que se baseia na premissa de que, em geral, 80% das consequências são diretamente influenciadas por apenas 20% das causas.

O objetivo desse método de classificação é, portanto, identificar os itens de maior impacto para os resultados da empresa a partir de indicadores como:

  • Giro de estoque
  • Lucratividade
  • Representatividade no faturamento

De acordo com a mesma lógica, a falta de controle impossibilita ao gestor conhecer o consumo médio dos materiais e pode fazer a empresa comprar mais do que o necessário, aumentando, de maneira desnecessária, o uso de capital de giro.

Você sabe o que é e como se dá a ruptura de gôndola?

A falta de gestão pode gerar, também, a chamada ruptura de gôndola, prejudicando as vendas pela falta de mercadorias. Para evitar que isso aconteça, é preciso fazer os pedidos com base no histórico de vendas dos últimos meses, sempre calculando uma margem de segurança, garantindo níveis de estoque que não acumulem uma quantidade grande de dinheiro parado (mercadoria parada) nem uma falta que prejudique o cliente.

Além da gestão focada no controle e na administração de compras, outras questões afetam a eficiência do estoque, como arranjo físico do espaço de armazenamento e de vendas. Apesar de serem espaços com funções distintas, em ambos é necessário haver uma organização lógica, que facilite o entendimento de funcionários e clientes.

Layout

Dicas para uma gestão eficiente do estoque

  • Conte com um processo de recebimento no qual um funcionário checa se o pedido foi entregue ou se falta algum item. O ideal é que todas as entradas e saídas sejam identificadas com o nome do responsável e inseridas em um sistema informatizado.
  • Realize inventários periódicos para confirmar se a quantidade de produtos registrada no sistema coincide com o estoque físico.
  • Diariamente, faça uma verificação do estoque por amostragem de alguns itens. Também chamado de “inventário rotativo”. Isso aumenta as chances de serem encontrados e solucionados problemas com maior velocidade.
  • Identifique quais itens são mais vulneráveis a modismos. Esses devem ser comprados em pequenas quantidades e com maior frequência, minimizando a estocagem e permitindo liquidá-los rapidamente.
  • Mantenha o depósito e o centro de distribuição sempre bem organizados.
  • Utilize o layout da área de vendas para promover e liquidar os produtos principais, os que estão com data de vencimento próxima e os que precisam dar lugar às novidades.
  • A partir do conhecimento sobre a necessidade da empresa, busque fornecedores que permitam compatibilizar as quantidades de produtos e os prazos de pagamento com seu giro de estoque e com seu fluxo de caixa.
  • Manter parceria com um bom distribuidor permitirá fazer compras menores e manter o estoque enxuto. Tenha também outros fornecedores no radar para não criar uma relação de dependência e exigência de compra que não respeite a sua realidade.
  • Se mesmo assim você tiver que comprar uma quantidade de produtos maior do que o necessário, utilize-se de estratégias de visual merchandising para promover e vender mais rapidamente os produtos, evitando o acúmulo de mercadorias paradas no estoque.

Fonte: Sebrae Nacional – 02/09/2019

Tenha a solução ideal para gerenciar sua empresa

Com nossas soluções on-line você tem total controle do seu estoque, sabendo de tudo o que acontece e administrando da melhor forma, além de ter controle total de outros setores como o setor financeiro, compras, vendas e muitos outros!

E para melhorar suas vendas ainda temos a integração do sistema de gestão com a Loja Virtual (E-Commerce), para vender seus produtos por meio da internet alavancando ainda mais suas vendas.

Conheça todas nossas soluções acessando nosso site ou ligue para agendar uma visita com nossos representantes.

(11) 2989-5006 / 3508-3100

O que é ser empreendedor

Empreendedor é aquele que…você sabe completar a frase? Conheça conceitos básicos do empreendedorismo por meio das visões de alguns autores.

Empreendedorismo é sinônimo de dinheiro no bolso? O ideal é que a resposta seja positiva. Mas, na prática, nem sempre é assim. Muita gente pensa que quem tem um negócio próprio, literalmente, nada no dinheiro – e toda pessoa que resolve e tem a coragem de empreender quer e merece, de fato, ter prosperidade.

No entanto, ser empreendedor não é, literalmente, ter esta garantia. Muito antes, ser empreendedor é ter a ousadia de colocar suas ideias em práticas. Quer entender melhor o que estamos tentando falar? Dê uma olhada, abaixo, no que alguns autores já convencionaram denominar de empreendedor. 

Ser empreendedor significa ser um realizador, que produz novas ideias através da congruência entre criatividade e imaginação.

Conceitos de empreendedorismo

O economista austríaco Joseph A. Schumpeter, no livro “Capitalismo, socialismo e democracia”, publicado em 1942, associa o empreendedor ao desenvolvimento econômico.

Segundo ele, o sistema capitalista tem como característica inerente uma força denominada de processo de destruição criativa, fundamentando-se no princípio que reside no desenvolvimento de novos produtos, novos métodos de produção e novos mercados; em síntese, trata-se de destruir o velho para se criar o novo.

Pela definição de Schumpeter, o agente básico desse processo de destruição criativa está na figura do que ele considera como o empreendedor.

Em uma visão mais simplista, podemos entender como empreendedor aquele que inicia algo novo, que vê o que ninguém vê, enfim, aquele que realiza antes, aquele que sai da área do sonho, do desejo e parte para a ação.

Seguindo esse raciocínio, a professora Maria Inês Felippe, em seu suplemento Empreendedorismo: buscando o sucesso empresarial, defende a ideia de que o empreendedor, em geral, é motivado pela autorrealização e pelo desejo de assumir responsabilidades e ser independente.

Fonte: Sebrae Sebrae Nacional – 23/01/2019

Pretende realizar o sonho de ser um empreendedor?

Então você está no lugar certo!

Para que seus negócios funcionem corretamente e atendam a legislação é preciso que tenha em seu estabelecimento um sistema de gestão empresarial, emissor de nota fiscal, equipamentos adequados entre outros.

Do PDV ao ERP, a solução ideal para gerenciar a sua empresa!

Por esse motivo desenvolvemos as soluções ideais para que seu negócio se destaque e tenha sucesso! São soluções para os mais variados tipos de negócios como restaurante, lanchonete, food trucks, casas noturnas, bares, danceterias, indústrias, petshops, lojas, atacados, supermercados, franquias de todos os tipos e muito mais que você pode conferir em nosso site.

Com uma equipe de representantes altamente treinados que vão até você e avaliarão suas reais necessidades para oferecer apenas o que você precisa. Nossas soluções on-line dispõem de módulos que se adaptam as suas necessidades, assim você não precisa pagar por algo que nunca irá usar.

Entre em contato agora mesmo com nossa equipe de representantes por mensagem em nosso site ou telefone:

(11) 2989-5006 / 3508-3100